quarta-feira, 8 de outubro de 2008

.

Conto da Madrugada
.


PRESSÁGIO


..........O dia amanheceu triste. Abri a janela do quarto e paisagem escura descortinou-se sobre mim. Um canto sofrido soou-me aos ouvidos. Fui ao jardim e conversei com minhas roseiras. Elas sim, entendem os meus anseios, ouvem-me os desabafos e permanecem ali, solícitas, perfumando os meus dias de tédio e de rotina. Reguei-as com carinho e preparei-me para mais um dia de trabalho. Algo vai acontecer hoje, com certeza.
..........Cheguei ao hospital atrasada. Há um caos crônico no trânsito. Estamos sempre correndo para lugar nenhum, estressando-nos com coisas sem sentido. Mas a vida é assim...
..........Ele chegou de mansinho, com voz baixa e pungida. Sentou-se e com os olhos marejados contou-me a sua aflição:
..........- Doutora, vim aqui só para a senhora me dizer o que fazer da minha vida. Tenho uma corda - e tirou uma corda fina do bolso - para acabar logo com isso de uma vez. Se for verdade, prefiro morrer.
..........- Mas o que aconteceu, senhor Benedito? ( nome fictício que veio-me à mente agora ). Meus olhos cruzaram-se com os seus e percebi que algo pavoroso o afligia. O pobrezinho estava ofegante.
..........- Doutora, fui buscar os exames que a senhora me pediu. No meio do caminho, abri o envelope e fiquei com uma dúvida danada. Meu Deus e agora, será que sou homem ou mulher? Esse exame diz que não sou homem nem sou mulher, mas sei que sou homem. Como é que pode ser uma coisa dessa? Na dúvida, pedi a uma rapaz que estava passando na calçada para ler o resultado e ele confirmou: - O senhor tem razão. Com certeza, o senhor não é homem...parece que diz...deixe-me ver...que o senhor é bicha.
..........- Bicha, eu? Um velho de 78 anos, com mulher e 6 filhos? Esse exame está errado e, com toda certeza, não é meu!
..........- Mas tem o seu nome. Veja. O seu nome não é Joaquim Benedito da Silva?
..........- Isso mesmo. Benedito sou eu.
..........- Então o exame é seu. Olhe, não tenho mais tempo para conversas. Pegue o seu exame e vá resolver logo essa parada que é melhor. Nossa, já vi muitos assim, mas o senhor... Eu, hein?
E foi-se o rapazola, deixando o ancião com o coração cheio de angústia e de aflição.
..........- Sr. Benedito, o senhor está se referindo a esses exames laboratoriais?
..........- Então é isso mesmo, doutora? Aí diz que sou bicha? Mas eu nem sabia de uma coisa horrível dessa! Será que quem me conhece pensa que sou maricas? Se for mesmo, é melhor eu dar cabo de uma vez da minha vida. Ai, meu padim pade Ciço, me acuda!
..........- Calma, senhor Benedito! Tive que conter o riso e explicar ao pobre velhinho que o seu colesterol e os triglicérides estavam normais para a idade e o que ele leu, e entendeu totalmente deturpado, referia-se aos valores normais e aos valores de risco para homens e mulheres.
..........Depois de muito tempo de conversa - e a fila lá fora esperando impacientemente - o velhinho, com um misto de pranto e de alegria, retrucou:
..........- Doutora, a senhora salvou a minha vida! E foi-se, feliz da vida, rumo à selva de pedra.... ..........Amanhã haverá novas lutas, novos desafios e novas esperanças...
..........Ah, esqueci o presságio... Enfim, foi bom presságio, porque consegui dar novo alento a um ser humano especial...
.
.
Sylvia Narriman Barroso
.
.

3 comentários:

direitinho disse...

Estas pequenas histórias tocam bem no fundo do meu coração.
A Sylvia certamente terá muitas para contar. Obrigado por partilhar o seu mundo com o nosso.
O médico é muitas vezes o protector e o confessor. Quantas coisas a que é necessário dar resposta e quantos doentes curados só porque alguem teve com eles um pouco de paciência e tempo para ouvir. " Bem Haja"

direitinho disse...

Gostaria de perguntar porque é que alguns homens pensam em outros homens e em buscar prazer com eles.
Não consigo entendimento algum.
-Prazer por prazer ?
- E aquelas que nasceram para serem mães serão toda a vida apenas máquinas de prazer para satisfação própria ???????
Acabo sempre a pensar que a educação está muito mal e que as pessoas acabam por entender bom tudo o que não passa de fugaz e distorcido da realidade e de todos os valores correctos e dignos da humanidade.

Estela disse...

Olá !
gostei muito do seu blog ...
o tudo e o nada fazem da nossa vida um misterio constante, mas as vezes temos tudo e não temos nada.