segunda-feira, 15 de setembro de 2008

.
Reflexões da Madrugada
.


.
Sylvia Narriman
.
.
............À noite, quando as ruas estão desertas, é sempre o melhor momento para se fazer um exame de consciência. Tenho por hábito dormir tarde. Os pensamentos aclaram-se, os sentidos aguçam-se. Abro a janela e contemplo o céu. A noite está linda! Procuro as Três Marias e encontro-as brilhantes. A do meio parece ser a mais bela, tem-me um encanto especial. No meu batiscafo, viajo ao âmago da minha alma...
............Crescemos e vivemos em um mundo dividido, marcado por nossas feridas e ansiedades. Lembrei-me do meu momento atual, em que o medo, a hesitação e a incerteza deixaram-me marcas profundas, que o tempo, talvez, consiga apagá-las. Tento, preciso desapegar-me dessas lembranças, para continuar buscando a mim mesma, a comunhão com o Universo e com Deus.

............Lembrei-me de Rumi, quando diz em um de seus versos:

............Hoje é como todos os outros dias:
............acordamos vazios e assustados.
............Não abramos a porta da biblioteca
............para começar a ler. Larguemos a cítara.
............Deixemos que a beleza que amamos
............seja aquilo que fazemos.
............Há centenas de maneiras
............de nos ajoelharmos e beijar o chão.
.
............Quando paramos, reconhecemos como são especiais cada homem, cada mulher, cada ser vivente nesse mundo. O nosso modo de vê-los depende, na maior parte das vezes, do momento que estamos vivendo...Por ser incerto, o AMOR é tão precioso! Por ser incerta, a VIDA é preciosíssima! Cada minuto perdido com mágoas, ressentimentos, tristezas e outros sentimentos negativos tornam o nosso fardo bem mais pesado.

.
............Rumi, mais uma vez, lembra-nos para não deixarmos os sofrimentos serem nossa eterna companhia:

............Quando vais a um jardim,
............olhas os espinhos ou as flores?
............Passa mais tempo
............com as rosas e os jasmins.

............E descubro uma serenidade, uma paz que há tempos não experimentava. Perdôo-me, do fundo do coração...Sei que preciso vivenciar essas dificuldades, para burilar-me o coração, a alma...Como disse Dame Julian de Norwich, com tanta beleza: " Tudo estará bem e todas as coisas serão boas"...
............É assim que pretendo estar, logo mais, quando chegar ao trabalho. Muitas pessoas precisam de mim, do meu equilíbrio, do meu sorriso, dos meus préstimos como profissional e como ser humano.
............" Passa mais tempo com as rosas e os jasmins". Esquece os teus espinhos....
.
.
..........................................
Sylvia Narriman Barroso
.

4 comentários:

André L. Soares disse...

Parabéns. Belíssimo espaço poético. Eu vi o endereço no Blogblgos e vim aqui como curioso, apenas para conhecer. E quase não consigo sair, correndo os olhos de um poema a outro. Voltarei depois para ler mais. Grande abraço, Poetisa!

direitinho disse...

Parabens por mais um testemunho original e com sentido de partilha e educação.
Como é bom viver o nosso trabalho com alegria e doação aos outros como se fossem rosas ou jasmins.
Como é bom parar, meditar e agradecer por tudo o que nos foi dado viver HOJE.

Anônimo disse...

Hay nuevas notas en www.elperroelocuente.blogspot.com
Abelardo Castillo, Isidoro Blaisten y una lista de comienzos de cuentos. Saludos.
Jorge

antonio miguel disse...

Admiro esta página e sua autora
Parabéns !!!!!!!!!!!
Que a força, e o AMOR não lhe faltem !!
António Miguel/ Portugal