sábado, 29 de maio de 2010

CONCERTO PARA CORPO E ALMA

( Pintura de Alex Grey )



Compreendi, então,
que a vida não é uma sonata que,
para realizar a sua beleza,
tem de ser tocada até o fim.
Dei-me conta, ao contrário,
de que a vida é um álbum de mini-sonatas.
Cada momento de beleza vivido e amado,
por efêmero que seja,
é uma experiência completa
que está destinada à eternidade.
Um único momento de beleza e amor
justifica a vida inteira.

Rubem Alves

Um comentário:

direitinho disse...

Parece que é assim.
Os meus olhos e os meus sentidos nem sempre me deixam ver e ouvir essas pequenas coisas que fazem os nossos dias mini-sonatas.