quinta-feira, 29 de outubro de 2009

A alegria






O sofrimento não tem
nenhum valor
Não acende um halo
em volta de tua cabeça, não
ilumina trecho algum
de tua carne escura
(nem mesmo o que iluminaria
a lembrança ou a ilusão
de uma alegria).

Sofres tu, sofre
um cachorro ferido, um inseto
que o inseticida envenena.
Será maior a tua dor
que a daquele gato que viste
a espinha quebrada a pau
arrastando-se a berrar pela sarjeta
sem ao menos poder morrer?

A justiça é moral, a injustiça
não. A dor
te iguala a ratos e baratas
que também de dentro dos esgotos

espiam o sol
e no seu corpo nojento
de entre fezes
querem estar contentes.

Ferreira Gullar


Um comentário:

direitinho disse...

Bom dia
Obrigado por este poema.
Nunca tinha pensado assim no sofrimento. Penso que o sofrimento é descabido e inoportuno.
Não leva nem traz nada a ninguém. Apenas massacra.
Ainda assim há quem tire prazer do sofrimento, visto por outro olhar e que não entende o meu modo de vida.
Há quem aceite todos os martírios acreditando numa vida melhor no Além.
Pela minha religião parece que isto está certo. Para mim humano parece-me errado.
Já temos uma vida complicada.
Que o pouco que nos é dado viver que seja bom. Sem sofrimento!