domingo, 27 de setembro de 2009

Presságio

.
.

........O dia amanheceu triste. Abri a janela do quarto e paisagem escura se descortinou sobre mim. Um canto sofrido soou-me aos ouvidos.Fui ao jardim e conversei com minhas roseiras.Elas sim, entendem os meus anseios, ouvem-me os desabafos e permanecem alí, solícitas, perfumam os meus dias de tédio e de rotina.Reguei-as com carinho e me preparei para mais um dia de trabalho. Algo vai acontecer hoje, com certeza.
........Cheguei ao hospital atrasada. Há um caos crônico no trânsito.Estamos sempre correndo para lugar nenhum, nos estressando com coisas sem sentido.Mas assim é a vida...
........Ele chegou de mansinho, com voz baixa e pungida. Sentou-se e, com os olhos marejados, me contou a sua aflição:
........- Doutora, eu vim aqui só para a senhora me dizer o que fazer da minha vida. Tenho uma corda - e tirou uma corda fina do bolso - para acabar logo com isso de uma vez. Se for verdade, prefiro morrer.
........- Mas o que aconteceu, senhor Benedito? ( nome fictício - mas história verídica - que me veio à mente agora). Meus olhos se cruzaram com os seus e percebi que algo pavoroso o afligia. O pobrezinho estava ofegante.
........- Doutora, fui buscar os exames que a senhora me pediu. No meio do caminho, abri o envelope e fiquei com uma dúvida danada. Meu Deus e agora, será que sou homem ou mulher? Esse exame diz que não sou homem nem sou mulher, mas sei que sou homem. Como é que pode ser uma coisa dessa? Na dúvida, pedi a um rapaz que estava passando na calçada para ler o resultado e ele confirmou:
........-O senhor tem razão. Com certeza, o senhor não é homem...Parece que diz...deixe-me ver...que o senhor é bicha.
........-Bicha, eu? Um velho de 78 anos, com mulher e 6 filhos! Esse exame está errado e, com toda certeza, não é meu!
........-Mas tem o seu nome. Veja. O senhor não é o Joaquim Benedito da Silva?
........-Isso mesmo. Benedito sou eu.
........-Então o exame é seu. Olhe, não tenho mais tempo para conversas. Pegue o seu exame e vá resolver logo essa parada. Nossa, já vi muitos assim! Mas o senhor...Eu, hem?
........E foi-se o rapazola, deixando o ancião cheio de angústia e de aflição...
........- Senhor Benedito, por acaso, está se referindo a esses exames laboratoriais?
........- Então é isso mesmo, doutora? Aí diz que sou bicha? Mas eu nem sabia de uma coisa horrível dessa! Será que quem me conhece pensa que sou maricas? E minha mulher, quando souber disso...Se for verdade, é melhor eu dar cabo de uma vez da minha vida. Ai meu Deus, me acuda!
........- Calma, senhor Benedito! Tive que conter o riso e explicar ao pobre velhinho que o seu colesterol e os triglicerídeos estavam elevados para a idade. O que ele leu - e entendeu totalmente deturpado - referia-se aos valores normais e aos de riscos para homens e mulheres.
........Depois de muito tempo de conversa, com orientações para tomar uma medicação específica para o seu problema, associada a orientação dietoterápica - a fila lá fora esperando impacientemente - o velhinho, com um misto de orgulho e de alegria, retrucou:
........-Afinal, eu sou mesmo homem! Doutora, a senhora salvou a minha vida!
........E foi-se, feliz como um pássaro liberto, rumo à selva de pedra...Amanhã haverá novas lutas, novos desafios e novas esperanças...
........Esqueci o presságio...Afinal, foi um dia especial, porque consegui dar novo alento a um ser humano.

Sylvia Narriman Barroso

Nota: Sem preconceito de qualquer natureza, apenas relato aqui um fato verídico, que ocorreu no meu consultório.

A Associação Americana de Psiquiatria, em concordância com as investigações científicas mais recentes, concluiu que as práticas homossexuais fazem parte da diversidade da própria natureza.

Associação Americana de Psiquiatria (APA) excluiu o homossexualismo da categoria de desordem. Em seu livro, “Homosexuality and the Politcs of Truth”, Jeffrey Satinover descreve o processo político que levou à alteração do status psiquiátrico do homossexualismo, por parte da APA.

3 comentários:

direitinho disse...

Bom dia e uma boa semana
As coisas que um médico tem de ouvir e resolver com muita calma e diplomacia.
Este tema dava um lindo romance e certamente todos teriamos muito a aprender com tudo isto.
Não vou entrar pelo tema do homossexualismo. Isso é areia demais para a minha camionete e nunca pretendi entrar por esses campos. Respeito todos de igual modo e longe de mim querer se juiz de alguma pessoa.
Sei o que é sofrer com certos comentários.
Conheço alguns casos.
Um dia alguem mal intencionado me apontou nesse grupo.
Deus lhe perdoe.
Senti na cara os sorrisos e os olhares de quantos se riam de mim.
Outros dias na minha pura e simples humidade nem via a maldade as suas provocações.
Pensei:
Hei-de conseguir provar a esta gente que não sou nada disso e virar as opiniões negativas e distorcidas.
Lutei contra tudo e contra todos sem comentários mas sempre determinado e aos poucos fui conseguindo o respeito e a amizade de quantos trabalharam comigo.
Não é preciso uma corda e terminar a nossa vida.
É preciso coragem para ser Homem e mudar as opiniões que alguns querem impor-nos e marcar-nos.
Nunca na minha vida andei nessas vidas e nem sei como tal é possivel.
Desculpe este lamento.

Anônimo disse...

Hay una nueva entrada en http://elperroelocuente.blogspot.com/
Saludos.
Jorge

Anônimo disse...

Sylvia,

Atualizado o blog http://www.pretextoselr.blogspot.com/

Abraço.

Eduardo L Resende