sábado, 2 de maio de 2009

.
.
MÃE
.
.

.
............Um livro é um caminho. Minha mãe se transporta para um mundo de rainhas e faraós, paixões proibidas, complôs, pirâmides e areias quentes do deserto. As contrações uterinas estão se intensificando. Respira fundo e volta a ler.
.......... - Dona Ruth, pare com essa arrumação e vá ter essa menina em paz! Retorquiu a criada, velha cachimbeira, com muitos anos de estrada na arte de trazer vidas ao mundo.
..........- Tiquinha, quando chegar a hora, ela sai.
..........A anciã, contrariada, finge estar arrumando alguma coisa na cozinha.
..........Um filho é outro caminho...Essa mulher singular, guerreira, altiva, amorosa, está na quarta gestação. Todas as mães, mesmo as menos amorosas, as mais displicentes, merecem a nossa gratidão. Carregar no ventre, por nove longos meses, um ente, que rouba-lhes os nutrientes, causa-lhes enjôos e desconfortos e, após vir ao mundo,continua a sugar-lhes a vitalidade, é ato de grande heroísmo. Mas filhos são dons de Deus e devem ser amados, sempre...
..........- Tiquinha, está na hora! E põe o livro na mesa da cabeceira.
..........Incontinênti, chega a criada, faz um exame e uma reza com folhas de pinhão roxo e de arruda.
..........- Vamos, dona Ruth, força! Já está coroando!
..........É noite. Chuva torrencial cai no telhado. Nossa casa, sem forro, está úmida e sinto frio. Mãinha já está ao meu lado, com uma lamparina nas mãos, velando por mim. O meu anjo da guarda lava-me os pés com água morna, sujos após longas horas de brincadeiras, cobre-me a rede com um toldo, para não me caírem respingos da chuva e me aquece com mais um lençol. Quem tem uma mãe como a minha, o que mais quer na vida?
..........É o dia da formatura. Dona Ruth está linda e se regozija com a vitória da filha. Quanto sacrifício, de quantas coisas se absteve, para comprar-me os livros caros, o primeiro jaleco e os vindouros, o estetoscópio e o anel de esmeralda. De presente, deu-me uma colcha italiana, com um pedido para que eu a usasse somente em ocasiões muito especiais.
..........A morte é um caminho. Surge " a que nos rouba os tesouros", infalível, pujante, veloz. É Semana Santa... Não há palavras para expressar tais sentimentos...Um misto de impotência, de desespero...algo imensurável...uma dor horrível, a nos rebentar as entranhas e o coração em milhões de pedaços!
..........E hoje é seu aniversário... Depois que ela partiu, as coisas mudaram. O seu violão, o cavaquinho e o pandeiro aqui estão, mas quem os tocará?Quem sentará na calçada à noite,aos domingos e entoará lindas canções? Quem regará as flores do jardim e conversará com elas? Quem enfeitará a casa para o Natal, encherá a árvore de presentes, fará o peru recheado da ceia e dirá: " Sylvia Narriman, venha cá." Quem, com a sua presença, inundará o nosso lar de paz e harmonia? No meu coração, semeio e colho flores de amor, carinho, respeito e gratidão - são da mãinha.
..........Aceitar a finitude da vida é um caminho...Um dia lá chegarei, com a certeza de que um anjo enfeitou-me todas as veredas, encheu-me os dias de luz e de alegria e deixou-me, como legado, a melhor parte de si: o seu amor de mãe, a guerreira...
.
Sylvia Narriman Barroso
.
.
.
.
 
.
.

.
Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?.
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento...

( Drummond)

9 comentários:

direitinho disse...

Bom dia querida Amiga e Parabéns por ser filha e também ser Mãe.
No seu escrito conseguiu com muita perfeição falar da sua Mãe como Mãe e de si como filha e Mãe. Aquilo que recebeu, deu e se continua no tempo e na vida de cada dia até ao momento em que tudo termina.
É difícil conseguir juntar as duas ideias num único tema e prolonga-las no tempo que ainda temos e vamos vivendo.
Também já não tenho Mãe desde 1989 mas sempre a recordo com muita saudade e carinho como se ela ainda vivesse por aqui nesta casa por onde também eles passaram.
Olhei à pouquinho para o jardim e disse para uma rosa branca:
- Hoje vais comigo visitar a minha Mami.
Quando sairmos eu levo-te lá e espero que o seu coração volte a brilhar de amor, carinho e muita bondade que sempre teve.
Fica-nos em caminho e será um modo de fazer também por ela uma pequena oração.

Hoje não tenho em casa os meus filhos e a minha mulher vai sentir essa ausência. Vou convidá-la para irmos a Fátima e passar lá uma parte do nosso dia junto da Mãe de todos nós. Cristo deu-nos uma super Mãe e que ela guarde as nossas Mães lá no Céu.

Zica Cabral disse...

querida Sylvia, publiquei a resposta à sua resposta no meu blog mas, como quero que a leia publico-a aqui tb.

“.....temos de abrir mão de ilusões, expectativas e dependências. Temos de superar expectativas impossíveis em relação à vida e às pessoas..."
querida Sylvia obrigado pelas suas palavras. Vc tem a arte de sentir as minhas palavras , de as compreender e de falar dos pontos importantes subjacentes.

Mas....... desistir de ilusões, expectativas e dependencias.........parece-me muito cruel como meio de atingir uma maturidade.
Sim, claro que sei que as nossas expectativas em relação aos outros, são muitas vezes a projecção dos nossos desejos e nao correspondem a realidade dessa mesma pessoa. Queremos, muitas vezes, intrepretar os sinais que os outros nos mandam como as respostas que ansiamos por ouvir.....E nem sempre interpretamos esses sinais de maneira correcta . Dependencias..................sim, ha dependencias extremamente negativas mas outras, muito positivas. As dependencias internas, emocionais. As que se alimentam do feedback do/dos outro/os. As dependencias que vivem ao mesmo tempo, da tomada de consciencia de que cada individuo e unico mas que a suas inter-relações são muito importantes para o crescimento da teia social que o envolve. Essas dependencias nao devem nunca ser cortadas..........em meu entender.
Concordo em absoluto em "superar expectativas impossiveis em relação à vida e as pessoas".
Em relação a vida é engraçado, porque nunca tive muitas expectativas, nunca criei metas a antingir com antecedencia, a não ser as basicas. Sempre vivi a minha vida ao sabor do que me aparecia. As voltas e reviravoltas que a minha vida ja deu são impossiveis de planear porque surgem, de repente, sem aviso previo. E eu fui agarrando os desafios que nem sonhava serem possiveis. E posso dizê-lo , com sucesso. Nem todos foram bons ou faceis. Mas a grande maioria foi muito boa e a minha auto confiança foi superando as dificuldades. Isto, mais a nivel profissional do que pessoal. Mas, nesse capitulo tb nao tenho que me queixar muito. Tenho vivido experiencias incrivelmente positivas. Umas fazem sofrer mas crescer, ao mesmo tempo; outras fazem-me, simplesmente maravilhar com a felicidade que atinjo. Todas elas foram e são positivas. E nenhuma delas me tirou a capacidade de me amar a mim propria ,de amar os outros e, de receber tb, o amor dos outros sem quaisquer reservas.
O exemplo disso é te-la "conhecido" a si e a muitos outras pessoas deste mundo virtual que me têm ajudado em horas mais dificeis com as suas palavras.
Incrivel como a inter-relação entre pessoas que nunca se viram, distanciadas por milhares de km , podem ser tão importantes na nossa vida. A teia humana alarga-se e a nossa teia interior tb.
Obrigado pelas suas palavras e pela sua presença.
Um beijinho
Zica

Zica Cabral disse...

querida Sylvia, in medio virtus est. A frase em latin que significa que, no meio esta a virtude É bem verdade e Buda esplicou todas as passagens da vida com um bom senso e experiencia , extraordinarios.
Quando ao tema de hoje, o dia da Mãe, a minh ja não esta fisicamente entre nós há bastantes anos mas vive dentro do peito de cada um de nós, a filhos a quem deu vida e amor. Era uma pessoa extraordinaria em milhares de coisas e tive o privilegio de viver com ela durante muitos anos após o meu Pai ( outro ser extraordinario) ter partido.
Como Mãe que sou , embora os meus filhos estejam muito longe não deixaram de me telefonar para me recordar quando gostam de mim.
bjs
Zica

Anônimo disse...

Voce gosta de dançar! Então é com voce que esu estou falando!!!
Veja pelas minhas palavras como era um baile no meu endereço de Causos!!
Abraços Ademar!!!

http://doutormaronbado.blogspot.com/

Anônimo disse...

Minha Homenagem pela passagem do dia das Mães
leiam o apelo de uma mãe como você,
mas que tem um filho diferente do seu.
Efigênia Coutinho

Anônimo disse...

Olá Sylvia!
Vi o seu perfíl no Blogspot e achei você uma pessoa interessante, pois está preocupada com o seu mundo interior, isso é bom.
Portanto convido-lhe a acessar o meu bloque e deixar algum comentário se assim desejar. Meu endereço é:
http://saudeespiritualidade.blogspot.com/
Atenciosamente
Francisco Oliveira

Anônimo disse...

Querida doutora Sylvia,
por indicação do Artur, estou navegando pelo seu blog e gostando. Não esqueça da sua participação na nossa aula inaugural, dia 09/05.O seu tema será " O corpo energético". Nossos alunos agradecem. Parabéns pelo blog e parabéns pelo escrito magnífico sobre a sua mãe. Para ter uma filha como você, querida, só podia ser uma mulher especial. Abraço.

Carlos Henrique

Anônimo disse...

Doutora, esqueci de lhe dizer dizer: Depois da aula haverá um jantar para os amigos e você é nossa convidada especial. Abraço.

Carlos Henrique

Anônimo disse...

ESTIMA SILVIA, ABRE ESTE LINK E A SUA DIREITA VEJA UMA SURPRESA QUE FIZ A SUA PESSOA, EFI.

http://efigeniacoutinhoselospremiosblogsamig.blogspot.com/