quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

.
O Discípulo para o mestre:
- Mestre, como faço para não me aborrecer?Algumas pessoas falam demais, outras são ignorantes, algumas são indiferentes. Sinto ódio das que são mentirosas. Sofro com as que caluniam.
- Pois viva como as flores - advertiu o mestre!
- Como é viver como as flores? - perguntou o discípulo.
- Repare nestas flores, continuou o mestre, apontando lírios que cresciam no jardim. Elas nascem no esterco, entretanto, são puras e perfumadas. Extraem do adubo mal cheiroso tudo que lhes é útil e saudável, mas não permitem que o azedume da terra manche o frescor de suas pétalas.É justo angustiar-se com as próprias culpas, mas não é sábio permitir que os vícios dos outros o importunem. Os defeitos deles são deles e não seus. Se não são seus, não há razão para aborrecimento. Exercite, pois, a virtude de rejeitar todo mal que vem de fora. Isso é viver como as flores.
.

3 comentários:

direitinho disse...

Aqui tambem quero expressar a postura da minha sogra que fez 87 anos em 25/dezembro/2008
«na vida só devemos aproveitar o que é bom, e desprezar tudo o que não presta»
Esta foi uma das primeiras observações que lhe ouvi e que jamais esquecerei pelo valor que encerra.
A vida seria mais bela se soubesse ver e saber o que é realmente bom e o pudesse colher com muito amor.
Beijos e bom fim de semana

O Sibarita disse...

Pois é um texto para reflexão e aprendizado... é isso ai!

bjs
O Sibarita

Zica Cabral disse...

Continuo a ler, encantada, os seus posts.
Sim,a vida d´-nos coisa más mas, tb, coisas tão boas que só elas merecem ser retidas pela nossa memória. Embora, as más, nos sirvam para nos ensinar que não há caminhos que não deveremos mais percorrer.
A vida tem sido boa para mim, muito boa, mas tb me tem trazido algumas decepções que ficam como lições do que não devo fazer outra vez.
Um beijinho
Zica