sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

.
.
.

REQUIESCAT
.
De meu mar, ofereço-te as ondas
e as praias que poéticas conchas te trazem.
Tais suaves mistérios te concedo, mais as algas
e as gaivotas que bicam tecidos de luz na tarde.
Povoados de ti, de mim,
os barcos que chegam e ardem.
Adere-te, pois, ao sal que a mim te chama,
cobre teus pés em espuma e encanto,
molha teu rosto nas claras águas que o dia me abre.
(Sosseguem , minhas dorsais,
descanse, meu leviatã esconso).
.
Fernando Campanella
.
.

8 comentários:

direitinho disse...

Gosto tanto destes poemas que nos fazem sonhar e nos transportam nesse mar onde se encontram e se desejam.
São as conchas de caricias e os pés salgados na espuma que os quer juntar.
Bom fim de semana e tambem bom dia de S. Valentim

O Sibarita disse...

Hummm o Fernado dis pensa comentários, esse poema então... Valha-me Deus! kkkk

bjs
O Sibarita

Jaqueline Sales disse...

Profundo, mas gosto mais do teu. O teu parece ter-se aberto especialmente para rasgar as palavras que o teu coração falou baixinho. É especial.

Com saudades..... Ainda estou com o teu presente guardado.... Tem coisa mais "insossa" que isso não!!!

BeijUivoooooooooooosssss da Loba

Anônimo disse...

Hola. En http://elperroelocuente.blogspot.com/ hay una nueva entrada, Philip Dick analiza las diferencias entre la novela y el cuento corto.
Saludos.
Jorge Aloy

Tentativas Poemáticas disse...

Querida amiga Sylvia
É sempre tão bom visitar e ler "Passagens e Marcas".
Tenho no cabeçalho do meu blogue um Prémio que também é seu.
Beijinhos
António

direitinho disse...

Desculpe mas não tinha reparado nos poemas laterais e que são seus.
Quero parar e reler mais atentamente pois parece-me haver muito que não disse e talvez mais do que quiz dizer mas não se percebe tudo numa só leitura

JC disse...

Gosto de tudo oque fale de mar.
Adoro o mar... encanta-me, fascina-me. Consigo conversar com ele e colher os seus conselhos.
Como é bom passear à bira mar, olhá-lo no infinitos e apanhar com os seus salpicos.
Gostei do teu blog.
Voltarei
Beijinhos

prafrente disse...

Sylvia esse mar é lindo mas aqueles animais alados, de branco pintados,sobre a areia não são gaivotas...a não ser que tenhamos de estudar Darwin para ver se houve aí alguma fenómeno de biologia evolucionista...
Você declama poemas enquanto cuida de seus pacientes?

Bjinho de Portugal